Logo

Testemunhos

 

 

152. “Minha vida nunca mais foi a mesma, desde que “A VVD” chegou até as minhas mãos.”

 

testem 152Meu coração exultou de alegria e meus olhos encheram-se de lágrimas, pelo Dom do Espírito Santo, o Dom das Lágrimas. É o que a Mensagem do Hino de Amor nos promove. Minha vida nunca mais foi a mesma, desde que “A Verdadeira Vida em Deus” chegou até as minhas mãos. Na próxima Sexta-Feira, exatamente na Sexta-Feira Santa, completaremos (entre AVVD e eu) um ano de encontro, ENCONTRO COM JESUS!!! Estou mais do que emocionada, ao digitar, tenho que parar, pois meu coração dispara. Ontem estive em Itacaré, cidade onde encontrei com a Joanna Raphael, da Suíça, que me ofertou oito volumes, para uma reunião com os membros do Grupo de Oração, do qual estou na coordenação, e os relatos daqueles que divulgam as Mensagens são lindos e profundos.

Sogiane
Ilhéus-BA,
Brasil

testem separa

 

 

154. “Eu me sinto guiada pelo próprio Jesus"

 

Meu nome é Sylvia Maria Josefa, sou indonésia e moro na Holanda. Nos últimos cinco anos estive lendo as mensagens com muita atenção, e uma frase sempre me volta à mente: "Sê lenta na ira". 23 de outubro de 1989.

Antes de "Sê lenta na ira" ter afetado minha vida, eu era muito impaciente, facilmente irritável, cheia de antipatias e preconceitos. Tantos defeitos e pecados!

Agora, por meio das mensagens diárias de AVVD, eu me sinto guiada pelo próprio Jesus e sinto que cada mensagem é muito pessoal. Descubro o imenso amor e paciência do Pai, do Filho e do Espírito Santo para comigo, à medida que leio e rezo. Agora me tornei muito mais paciente.

Isso é um grande milagre! Eu não preciso mais fingir que sou paciente. Fazer atos de paciência e amor se tornou mais natural a cada dia. Que alívio! Só o Senhor é capaz de fazer isso por mim. A alegria e a paz que sinto me dizem que as mudanças em mim vêm de Deus e não apenas dos meus esforços humanos.

Muitas vezes eu canto as mensagens para Jesus e O imagino sentado de frente para mim, escutando com um sorriso radiante e sendo a melhor plateia que eu já tive!

Sylvia Maria Josefa
...
Holanda

testem separa

 

 

156. “(...) estava com uma visão distorcida, numa religião que falava de Deus, mas, não de Jesus nem de Maria (...)”

 

Eu comecei a ler os livros, aproximadamente, há dez anos, quando uma amiga me deu o primeiro volume, sem dizer bem ao certo de que se tratava. Nesta época estava com uma visão distorcida, numa religião que falava de Deus, mas, não de Jesus, nem de Maria e eu sentia que algo estava faltando, um vazio me envolvia e, quando iniciei a leitura, percebi o quão distante estava de “A Verdadeira Vida em Deus”. A primeira coisa a fazer foi ir à Igreja Católica e internamente escutei: “Senti sua falta, minha filha”. E eu respondi: “Eu também, meu Pai”. E, por diversas vezes, ELE falava com Vassula, como se estivesse falando comigo.

Hoje estou casada, tenho duas filhas e continuo lendo, estou no XII volume e sei que a aproximação com Deus tem um valor incalculável. Nada ocorre por acaso, tudo vem da vontade do nosso Pai. Hoje, vejo-O como um pai amoroso, piedoso e íntimo conosco. Agradeço a ELE por me conceder a graça de conhecê-Lo melhor.

Tatiana Massunaga
...
Brasil

testem separa

 

 

155. “Para mim, a novidade foi: em nossos tempos, podermos ter uma PROFETA”

 

Fui criada numa família cristã; com tios, em Portugal, voltados para a igreja - Monsenhores, Cônegos, Padres, etc. Também, cresci no Colégio Fontainha, cuja proprietária tinha como irmão o Bispo da Bahia - Dom Motta (anos 60). Então, somos todos iniciados e participantes da Igreja. Minha mãe e tia foram catequistas, por mais de quinze anos. Mamãe cursou, com a irmã Bernadete, aqui no Rio de Janeiro, o Curso LUMEN CHRISTI, entre outros. Meus irmãos estudaram no Colégio São Bento, cujo diretor era Dom Lourenço de Almeida Prado. Meu pai estudou no Santo Inácio - RJ e eu e minha irmã estudamos no Colégio Virgem de Lourdes (RJ).

Na adolescência, fizemos parte dos grupos de oração iniciados pelo Frei Clemente Kesselmeier e seu irmão gêmeo, Henrique, também padre (frei). Chegando à vida adulta, fiz parte dos Cursilhos para mulheres, cursilhos para o casal, entre outros.

Aqui em Teresópolis, fui catequista, por um pequeno período - trabalhei com a preparação para a Primeira Comunhão de vinte crianças.

Enfim - no ano 1999/2000 - nosso tio, Pe. Paulo Athanásio M. da Silva - gaúcho - morador de Florianópolis (que já esteve em palestras e encontros da AVVD) nos enviou os primeiros livros da AVVD.

Para mim, a novidade foi: em nossos tempos, podermos ter uma PROFETA - com mensagens de Deus Pai, Jesus Cristo e o Espírito Santo e a nossa Santa Mãe, Maria. Foi aí que a AVVD me tocou - trazendo a nova "boa nova", conexão com o antigo e novo testamento, cruzando, entre estas duas épocas, a mesma Palavra, e confirmando os escritos e renovando-os - a Bíblia para nossos tempos.

Desde então, tenho acompanhado, primeiro os livros (I ao XII); segundo, os primeiros depoimentos filmados pela TV Alemã, ao qual tivemos acesso pela Internet (para isso a tecnologia é útil). E daí por diante, os convites da AVVD, para rezarmos, fazermos novenas, participarmos dos encontros, enfim, ouvir a palavra "nova" que há 2000 anos Jesus nos deixou. Daí, comecei a "baixar" na internet TODAS AS MENSAGENS DE VASSULA (No México, na Dinamarca, em Brasília) e estou degustando uma a uma, nos momentos de tristeza e, também, de alegria, volto aos depoimentos da Vassula.

Estou lendo seu livro "Heaven exist - but so is Hell". É incrível ler os depoimentos do que, nestes anos todos, desde 1985, ela tem passado, e enfrentado "o inimigo - a besta" e como realmente "isto - esta coisa" nos tenta de maneiras "subliminares, nas mais simples tarefas; ele impede nossa conexão com Jesus, desviando nossa atenção para coisas mundanas.

Isso tem me dado forças e tem ensinado-me a não estar desatenta - a estar com a Trindade e a pedir, ao Espírito Santo, a Sua proteção, que tome conta das minhas palavras e do meu comportamento - e como lidar com as pessoas, de modo a não 'IMPINGIR’ A PALAVRA DE DEUS, MAS BOTÁ-LA EM PRÁTICA, DIA-A-DIA. Não é fácil identificar a malícia da "besta! Bem como não é fácil aprendermos a evitar lugares e situações que nos levam, por conta da modernidade e da sociedade, para o ‘mundo’, para trilharmos o caminho em que temos Jesus como nosso irmão e companheiro, o tempo todo.

Vassula também falou que: precisamos abaixar nossa voz, para poder ouvi-Lo; sermos humildes e abaixarmos nossas cabeças, para que ELE se mostre, esvaziarmos nosso interior, nosso coração, para que ELE possa entrar e se sentir "em sua casa". Enfim, são tantas as bênçãos que Vassula exprime ser da vontade de Deus para conosco, que não tememos entregar nossas vidas, pensamentos, atos e ações, nas Suas Mãos. Mas, o que mais me impressionou, foi constatar que: Tudo vem de Deus... até nossos dons ...

E aí, ELE responde para Vassula:

"Ah, Vassula, o que você pode Me dar, que é realmente seu, é a sua VONTADE, sua LIBERDADE. (Livre arbítrio)".

Eu já tinha pensado a este respeito, mas, não com a PROFUNDIDADE que Deus pede e senti que, a cada dia, devemos renovar nossos votos de nos entregarmos a Deus, completamente.

Este é meu testemunho, e... ainda tenho muito a aprender, a escutar, a "digerir" e, principalmente, e me vestir de "uma nova mulher", para que a Santíssima Trindade e Maria, Mãe de Deus e Minha Mãe, possam habitar em mim.

Que Deus nos abençoe. Amém.

Tania Ávila da Silva
Teresópolis - RJ,
Brasil

testem separa

 

 

157. “Sem dúvida, AVVD reavivou minha fé.”

 

Antes de começar a ler as mensagens da AVVD, eu sempre via o Juiz, quando pensava em Deus, enquanto agora eu vejo um sorriso suave, compassivo e paternal em Seu rosto. Isso de o Senhor Jesus querer que eu O conheça, também, de um modo íntimo, é uma descoberta completamente nova na minha vida, inaugurando uma nova fase da minha fé. Sem dúvida, AVVD reavivou minha fé. O método "Nós, nós" é simples e extremamente útil, no meu dia-a-dia; ele me ajuda a manter meus passos no caminho certo.

Tomas
...
Brasil

testem separa

­