Logo

Ensinamentos

O QUE DIZ A IGREJA

O QUE DIZ A IGREJA


1. Há oposição às Mensagens?

Vassula diz: “Oposição, existe; como sempre houve! Foi assim também no tempo de Jesus. Ele disse: "O servo não é maior do que o seu Senhor, nem o enviado é maior do que aquele que o enviou” (Jo 13, 12-16). Por isso, todos os seus seguidores serão perseguidos. Diz Jesus: “Nestes vossos dias, os profetas que profetizam falsamente e anunciam toda a espécie de mentiras, avançam sem entrave algum: enquanto os Meus Próprios profetas, que vêm da Minha Boca, que abertamente declaram a Verdade, (...) são marginalizados e perseguidos...(AVVD-15 de abril de 1996).

As pessoas da Igreja que nunca ouviram um testemunho meu, nem ao menos leram as Mensagens, reagem negativamente, enquanto que os que me escutaram e leram o conteúdo das Mensagens me apoiam e são favoráveis”.

Apesar das oposições e das perseguições, as Mensagens estão se difundindo mais e mais.

Vassula diz que tem recebido de Deus a ordem de espalhar a mensagem e, quando algum clérigo lhe pergunta por que ela anda por aí espalhando-a, em vez de ficar em casa para cuidar das obrigações de dona de casa, ela diz que, se ela não fizer o que Deus lhe pediu, certamente será castigada: “Se eu tivesse escolhido este trabalho por mim mesma, poderia ser paga por ele, mas, como não o fiz, é uma responsabilidade que tem sido colocada nas minhas mãos. Mesmo que eles fechem a porta no meu rosto, eu subirei e entrarei pela janela”.

Jesus diz: “Acreditar é também uma Graça. Ter a fé é também uma Graça. Ver, ouvir e compreender as Minhas Obras divinas é também uma Graça; e todas são Graças dadas por Mim(AVVD-07 de setembro de 1987).

Quando Deus lhe dizia que ela seria perseguida, Vassula dizia: “Mas por quê, por quê?”. E Deus lhe respondeu que existem muitas pessoas com o coração fechado e duro, mas Ele acrescentou: “ ... não tenhas medo..., porque sou Eu que conduzo as coisas, Eu sou o Altíssimo(AVVD-03 de abril de 1987).

Vassula diz: “Quando me sinto perseguida, digo a mim mesma: eu sou apenas o instrumento que Deus escolheu para a Sua Obra, que não é a minha obra. Eles perseguem a Obra de Deus e não me perseguem a mim; por isso, por que razão ter medo? Deus é mais forte e Onipotente. Não fui eu que procurei esta missão e tão pouco procurei este caminho; por isso não tenho parte nesta questão. Devo fazer apenas aquilo que Ele deseja que eu faça. Devo obedecer a Deus. Quanto às pessoas que me caluniam, elas estão me facilitando o caminho para o Céu. Todas elas estão me prestando um verdadeiro serviço”.

O Senhor diz: “Alegra-te por eles te dizerem toda a espécie de calúnias a teu respeito”. “Alegra-te e sente-te feliz com o Meu Dom!(AVVD-11 de abril de 1989).

E Nossa Senhora diz: “Vassula, Minha filha, feliz serás quando te ultrajarem, te perseguirem e te caluniarem, por causa de Jesus. Alegra-te e sê feliz, porque a tua recompensa será grande, nos Céus. Foi também assim que perseguiram os profetas, antes de ti” (Mt 5, 11-12) (AVVD-07 de dezembro de 1988).

2. O que diz o Vaticano?

Vassula lembrou-lhes os dois anos e meio de estudos, tomados pela Congregação para a Doutrina da Fé (CDF), quando três dos seus teólogos receberam todos os 12 volumes dos livros de A Verdadeira Vida em Deus, na original língua inglesa. Cinco perguntas foram então feitas pela CDF para que Vassula respondesse. As respostas de Vassula às cinco perguntas foram consideradas satisfatórias, permitindo a continuação do processo através de correspondências entre o Cardeal Ratzinger e os Bispos do mundo inteiro e, posteriormente, informando aos bispos de alguns países que haviam feito perguntas, sobre os esclarecimentos feitos pela CDF. Este estudo da CDF culminou com o encontro de Vassula, em novembro de 2004, com o então Prefeito da CDF, o Cardeal Ratzinger, no seu Gabinete. Nesse encontro, somente cinco meses antes dele ser eleito Papa Bento XVI, o Cardeal Ratzinger afirmou que “a situação havia se modificado” e pediu sabiamente que as cinco perguntas da CDF, bem como as respostas de Vassula fossem publicadas em cada livro de AVVD daquela data em diante.

Durante os últimos anos, houve uma progressiva comunicação entre a Congregação para Doutrina da Fé (CDF) e Vassula. Essa comunicação modificou a situação que emergiu após a Notificação publicada pela CDF em 1995. A pedido do Prefeito da CDF, S.Ema. Cardeal Joseph Ratzinger, o diálogo entre Vassula e a CDF foi publicado nas últimas edições da AVVD pelo mundo todo. A publicação desse diálogo resultou em uma carta de 10 de julho de 2004, assinada pelo próprio Cardeal Ratzinger para alguns Presidentes de Conferências Episcopais Católicas que expressaram particular interesse por Vassula e seus escritos. Sua Eminência explicou-lhes em sua carta que a posição da CDF para com Vassula e seus escritos foi modificada. O Cardeal deseja que todos leiam as questões que foram feitas à Vassula e as suas respostas

Quando o Cardeal Ratzinger foi perguntado: "O que a CDF dirá a alguém que perguntar se a notificação é ainda válida?”. Sua resposta foi: "A situação foi modificada".

Obs: Importante ler os artigos abaixo. Poderemos encontrá-los no site oficial TLIG: www.tlig.org/pg/pgcdf.html

- O Diálogo entre Vassula e a CDF

- Cinco perguntas e respostas.

- Carta Original do Cardeal Ratzinger
- Carta do Subsecretário da CDF (hoje, Cardeal Grech)
- Comentário do Arcebispo Arguelles
- Comentário do Pe. Lars Messerschmidt

3. Opinião da Igreja Ortodoxa

A missão de Vassula e A Verdadeira Vida em Deus são conhecidas entre os Ortodoxos, e muitos leigos, Arcebispos e Metropolitas do mundo inteiro, apoiam Vassula, apesar de muita perseguição. Há aqueles que ainda não estão abertos para a Unidade e se opõem bastante pelo simples fato de ouvirem uma mulher falar de teologia.

4. Há diferença entre a Igreja Católica e a Ortodoxa?

A Igreja Ortodoxa é, em muitos aspectos, semelhante à Igreja Católica: preserva os sete sacramentos, o respeito a ícones e o uso de vestes litúrgicas nos seus cultos. Seus fiéis são chamados de cristãos ortodoxos.

No seu conjunto, a Igreja Ortodoxa Oriental é a terceira maior confissão cristã, contando, em todo o mundo, com aproxima-damente 250 milhões de fiéis, concentrados sobretudo nos países da Europa Oriental. As igrejas ortodoxas mais importantes são a Igreja Ortodoxa Grega e a Igreja Ortodoxa Russa.

Até o século XI, católicos romanos e ortodoxos têm uma história comum, que começa com a instituição da Igreja por Jesus Cristo e sua difusão pelos apóstolos. O Primeiro Concílio de Niceia, em 325, estabeleceu a Pentarquia, isto é, a organização da Igreja em cinco patriarcados, a cargo dos bispos de Jerusalém, Antioquia, Alexandria, Constantinopla e Roma, sendo o Bispo de Roma considerado o primus, isto é, o primeiro entre os patriarcas, embora muitos interpretem esse título como o primus inter pares, o primeiro entre iguais. Porém, quando a residência do imperador romano e o senado foram transferidos para Constantinopla, em 330 d.C, o Bispo de Roma perdeu influência nas igrejas orientais, em benefício do Bispo de Constantinopla. Ainda assim, Roma continuou a ter uma autoridade especial devido à sua ligação com São Pedro.3

Uma série de dificuldades complexas ocasionou um progressivo distanciamento entre Roma e os demais patriarcados. Primeiro veio a quebra da unidade política. Com a divisão do Império Romano (em 395), a queda do Império Romano do Ocidente (em 476) e o fracasso da tentativa de Justiniano I de reunificar o império (a partir de 535), Oriente e Ocidente deixaram de estar sob o mesmo governo. Mais tarde, com a ascensão do Islã, as trocas econômicas e os contatos por via marítima entre o Império Bizantino, de língua grega, e o Ocidente, de língua latina, se tornaram mais difíceis, e a unidade cultural entre os dois mundos deixou paulatinamente de existir. No século VIII, Roma colocou-se sob a proteção do Império Carolíngio. Criou-se assim uma situação em que as Igrejas, em Roma e em Constantinopla, estavam no seio de dois impérios distintos, fortes e autossuficientes, cada qual com sua própria tradição e cultura. Essa situação ensejou uma escalada de divergências doutrinárias entre Oriente e Ocidente (em particular, a inclusão, pela Igreja Latina, da cláusula filioque, no Credo Niceno-Constantinopolitano, considerada herética pelos ortodoxos) e a adoção gradativa de rituais diferentes. Ao mesmo tempo, acentuou-se a pretensão, por parte de Roma, de exercer uma autoridade inconteste sobre todo o mundo cristão, enquanto que Constan-tinopla aceitava somente que Roma tivesse uma posição de honra. Tais disputas levaram à ruptura, em 1054, entre a Igreja Católica no Ocidente e a Igreja Ortodoxa no Leste (Grécia, Rússia e muitas das terras eslavas: Anatólia, Síria, Egipto etc.). A essa divisão a historiografia latina chama Cisma do Oriente, e a oriental e anglo-saxônica, Grande Cisma (Wikipédia:Igreja Ortodoxa).

 

ESPÍRITO SANTO, LIVRE ARBÍTRIO e VONTADE DE DEUS

ESPÍRITO SANTO, LIVRE ARBÍTRIO e VONTADE DE DEUS


1. Quem é o Espírito Santo

Muitos conhecem Deus-Pai do Velho Testamento e Jesus do Novo Testamento, mas, muitos nada sabem sobre o Espírito Santo. Nas Mensagens de A Verdadeira Vida em Deus, o Senhor nos dá muitos ensinamentos sobre o Espírito Santo. O Espírito Santo é como um coração de um corpo que bate, sem este coração o corpo não pode viver. O Espírito Santo é a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade e uma PESSOA DIVINA, que continua a falar-nos nos dias de hoje.

O Senhor nos diz: “O Meu Espírito Santo é colocado no vosso coração como preciosa pedra angular, para ser a pedra de fundação da vossa fé, da vossa esperança, do vosso amor e do vosso zelo por Mim, vosso Deus(AVV-23 de dezembro de 1993).

Sem Ele, mesmo os Meus discípulos jamais Me compreenderam plenamente e tão pouco os Meus ensinamentos. Mas no dia em que Eu regressei ao Pai, Eu enviei-lhes o Paráclito, a fim de que lhes lembrasse tudo o que lhes disse, quando estava com eles(AVVD-10 de dezembro de 1995).

 

2. O Senhor quer nos transformar através do Seu Espírito Santo

Vassula diz: “Jesus disse que estamos vivendo um tempo de Graça, de Misericórdia, onde o seu Espírito de Graça está sendo derramado com abundâncias nos corações. Neste tempo diabólico, em que o demônio está festejando, o Espírito Santo vem renovar a criação, renovar nossa fé.

Deus está derramando Seu Espírito Santo, porque somente pela Sua Graça poderemos ser transformados em seres divinos”.

 

3. O que fazer para que o Espírito Santo nos invada

Vassula diz: “O Espírito Santo não virá a uma alma em pecado, cheia de vícios e iniquidades, por isso é preciso esvaziar-se, por meio do arrependimento. Se o pecado está lá, enchendo nosso coração, se estamos em dívida de pecado, o Espírito Santo não tem espaço. Como purificar o espaço dentro de nós? Pela confissão; depois dela, o Espírito Santo nos invade!”.

 

4. Arrependimento

Jesus diz que o fruto do arrependimento é o amor. Para crescermos no amor, teremos que nos arrepender e pedir a Deus que nos perdoe. Deus pede-nos que confessemos os nossos pecados. Quando Deus nos perdoa, é-nos feita a Dádiva do Amor. Quanto mais pecados forem perdoados, mais crescerá o nosso amor. Aquele que revela pouco amor é alguém a quem os pecados não foram perdoados. E por isso, é tão importante o arrependimento e a conversão dos corações. Quando os nossos pecados nos são perdoados, o nosso amor floresce. Não foi o próprio Senhor que disse à Maria Madalena estas palavras?: “Eu digo-vos que os seus pecados, os seus muitos pecados lhe foram perdoados; aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama” (Lc 7,47-48).

O arrependimento é a porta, a abertura da alma, a passagem, por onde o Espírito Santo poderá entrar. O Espírito Santo correrá como um rio de Água Viva, para que nasça vida em nós e plantará as sementes do Céu em nosso coração, que são: paz, alegria e amor. E a nossa alma se tornará uma terra fértil com frutos abundantes. Ele, o Espírito Santo, transformará a nossa terra velha, que era habitada pelo pecado, numa Nova Terra, onde Deus fará sua morada. O Espírito Santo espera ansioso para nos invadir, mas não encontra espaço no nosso coração, carregado de pecados e iniquidades. Dê espaço ao Espírito Santo, Ele vai destruir todas as suas iniquidades. Quanto menos nos arrependemos, menos teremos a Luz do Espírito Santo para fazer a Vontade de Deus.

O chamado que constantemente encontramos nas mensagens de AVVD é um chamado à reconciliação com Deus e com o próximo pelo arrependimento. Ele deve ser feito de tal maneira que a alma repudia não somente as suas más ações como também os seus pensamentos maliciosos. É um ato de humildade.

Devemos arrepender-nos verdadeiramente de coração, lamentar todas as nossas ações que ofenderam Nosso Senhor. Este arrependimento deve vir do nosso coração e não somente dos nossos lábios, o que então, seria inútil.

Deus quer um coração simples, contrito, sem malícia e cheio de bondade. Aqueles que rezam, vão à missa, rezam o rosário completo e fazem jejum frequentemente, tudo será em vão se o coração não mudar.

O Senhor nos diz: “Arrependei-vos! Arrependei-vos dos vossos pecados! Que adianta fazerdes-Me ofertas, se tendes uma serpente aninhada em vós? Se Me perguntais: "Que devemos fazer, para obter a Vida Eterna?", Eu respondo-vos: Arrependei-vos! Cumpri os Meus Mandamentos; dai bons frutos; e Eu, na presença de Meus Anjos, vos oferecerei a morada que reservei para vós. Vigiai e estai atentos a todas estas coisas(AVVD-20 de março de 1991).

Dizei-Me: qual de vós arriscaria a sua vida, quando descobriu que engoliu um veneno e acabaria por ficar inerte, sem nada fazer? Para serdes curados desse veneno mortal, devereis baixar as vossas cabeças e admitir que sois pecadores, oferecendo-Me o vosso arrependimento; então, toda a amargura do veneno será purificada, inclusa a própria serpente que alimentáveis no interior das vossas próprias entranhas, durante toda a vossa vida e, uma vez libertos, Eu Mesmo substituirei esses males pela Minha doçura... Sim, uma vez esses males fora, vós curar-vos-eis e, uma vez curados, não mais sereis estranhos à Minha Lei. Voltareis voluntariamente as costas ao mundo porque, diante de vós, vereis a Minha Glória e o Meu Esplendor. A vista de Minha irradiante Presença resplandecerá em vós, por dentro e por fora.
Está escrito:
"Vós estáveis mortos pelos delitos e pecados em que vivestes outrora, segundo o costume deste mundo, de acordo com o Príncipe das potestades do ar (Jesus fala aqui de Satanás), do espírito que atua nos rebeldes..." (Cf. Ef 2,1-2). Mas agora, depois do teu arrependimento, e pala graça que te é mostrada, Eu Mesmo te conduzi à vida em Mim... Eu Próprio te revelarei então, nos Meus sorrisos, o caminho da vida. Tu não mais caminharás sobre carvões ardentes, mas sobre safiras. O Deus que tu julgavas outrora inexprimível e inacessível, te dará uma alegria ilimitada no teu coração, enquanto Ele Próprio te exprimirá a Sua Alegria: "Outrora, estavas como um campo em que nada crescia senão sarças e cardos, praticamente inabitado e maldito; mas agora, Comigo, serás como um campo de Minha escolha, irrigado pelas fontes do Espírito Santo e darás as ceifas que Me são aceitáveis" (Cf. Heb 6,7-8) (AVVD01 de junho de 2002).

 

5. Jesus diz que a Igreja caiu na Apostasia, porque deixou de acreditar na ação do Espírito Santo

Quando alguém perde o sentido do Espírito Santo, Jesus diz que o coração se torna muito duro. E quando o coração se torna duro, não consegue ver o pecado e arrepender-se. Assim, não se arrependem e caem na rebelião. A rebelião acaba por colocá-los contra Deus e contra o Espírito Santo. Jesus disse à Vassula que os profetas Daniel e Ezequiel já tinham previsto este tempo de Apostasia. Também em 2 Ts 2, São Paulo fala do Rebelde e da grande revolta, que é de fato a Apostasia e o espírito de Rebelião destes dias, os últimos dias que precedem uma nova época.

 

6. Deus nos pede para morrermos para nós mesmos, entregando a nossa vontade a Ele

Vassula diz: “Deus não quer rival nenhum dentro de nós. O maior rival é a nossa vontade. Isto é muito importante, todos nós queremos fazer a vontade de Deus, mas às vezes, a nossa vontade, vem na frente da vontade de Deus, vem em primeiro plano, e assim se torna concorrente de Deus.

A nossa vontade é tudo o que temos para Lhe oferecer e Ele quer que Lhe entreguemos esta parte de nós mesmos, a cada momento de nossas vidas. Desta forma, Ele pode usar-nos como um instrumento da Sua vontade, que é Amor: Amá-Lo com todo o nosso coração e mente, e amar-nos uns aos outros”.

Vassula conta: “No início, o Pai Eterno me disse: Será que você tem alguma coisa para me dar, Vassula”? E eu disse: “Sim, acho que vou encontrar alguma coisa”, e Ele me disse: “Lembre que tudo o que é bom e que você quer me dar vem de mim!”. Aí eu disse: “Então, não tenho nada de bom, de mim, pra Lhe dar!”. E o Pai disse: “Não, porque tudo o que é bom vem de mim”. Eu disse: “Mas acho que eu tenho o que vai Lhe agradar. Eu vou pintar um ícone, porque sei pintar, e vou oferecer a uma igreja e você vai gostar”. E Ele disse: “Mas o dom da arte, Vassula, também esse vem de mim. Então você não tem nada, mas você pode me oferecer a tua vontade”. Eu fiquei surpresa porque desde o início já havia lhe dado minha vontade. Mas Ele disse: "Sim. Mas eu gostaria de escutar a mesma coisa todos os dias”.

Jesus diz: “Sirvo-Me daquilo que Me ofereces, alma. Só Me sirvo da tua vontade, se tu própria Me a ofereces. Tem confiança em Mim; tem sempre fé em Mim, porque Eu sou o mais Doce(AVVD-26 de outubro de 1989).

A Minha Divina Vontade, enraizada em ti, é o maior dom que Eu poderei oferecer, em troca da tua. Com a Minha Divina Vontade em ti, Eu poderei compensar todas as tuas deficiências e insuficiências. As palavras que tu proclamas serão as Minhas, porque Eu Mesmo serei a tua veste e tu terás o Meu Pensamento(AVVD-02 de novembro de 1997).

 

7. Livre Arbítrio

Vassula diz: “Parte do significado de sermos humanos é que Deus nos deu a liberdade, o livre-arbítrio para escolher o que é essencialmente bom ou o que não é bom. Podemos usar esse dom corretamente ou utilizá-lo mal. Deus nos dá esse dom do livre-arbítrio para que possamos amá-Lo, com todo nosso coração, com todo nosso entendimento e todo nosso ser. Este é o uso verdadeiro e correto do dom do livre-arbítrio que Deus nos deu: amar a Deus e amar nosso próximo. Mas essa nobre imagem de Deus em nós, pode perder-se por nossos pecados e seduções deste mundo, se usarmos nosso livre-arbítrio de forma errada. Pois Ele disse em uma mensagem: Eu criei-vos, com a liberdade de tomardes as vossas decisões(AVVD-07 de dezembro de 1989).

Dei a cada alma este livre- arbítrio e a sua vontade pertence apenas a si mesma, e se uma alma se obstina a não se abrir a Mim, como poderei Eu entrar no seu coração? Sou Deus e Senhor, mas concedi a todos a sua liberdade e a sua vontade. Se vós acreditardes e Me oferecerdes a vossa vontade, abandonando-vos a Mim, então, Eu entrarei nos vossos corações e curar-vos-ei. Eu não entrarei nunca à força. Estou à sua porta e espero que a abram e Me convidem a entrar(AVVD-18 de agosto de 1988).

Temos que nos decidir por Deus seriamente. Entregando a nossa vontade a Deus, querendo Deus; desejando abandonar-nos a Deus e ser aceitos por Ele. Só então, Deus poderá agir em nós. Estamos aqui na terra para preparar-nos para ir para o Céu, mas se nós não nos prepararmos será muito difícil.

O ser humano, hoje em dia, está vivendo como se apenas fosse matéria. Está esquecendo que também é espírito e que por isso tem uma alma e que esta alma está destinada a viver eternamente no Céu com Deus.

Jesus diz: “Digo-vos que a vossa vida, na terra, não é senão uma sombra passageira; mas a vossa vida, no Céu, durará para sempre. Lá, vivereis eternamente junto do vosso Criador, na Sua Glória(AVVD-01 de fevereiro de 1987); “Não sois órfãos: vós tendes já um Pai, no Céu, um Pai Terníssimo(AVVD-03 de março de 1989); “A tua Morada é no Céu, Comigo, a Meu lado. Que este lugar seja preenchido pela tua presença. Não Me aflijas, obrigando-Me a ver o teu lugar vazio, por toda a Eternidade(AVVD-22 de janeiro de 1990).

Enquanto ainda estivermos na terra, podemos fazer escolhas e optar por estar unidos a Deus ou nos separarmos de Deus. Deus nunca cessa de nos dar oportunidades de aprender a fazer o bem e crescer em Sua Graça e ser espiritualmente produtivos de diversas formas, pelo poder do Espírito Santo. Mas, quando nosso tempo chegar ao fim e formos chamados por Deus, estaremos então prontos para nos depararmos com Deus? Após a morte, já não há chances de mudança. Todas as opções se acabam. Jesus nos disse nas mensagens"... vive como se este fosse o teu último dia, na terra" (AVVD-02 de março de 1993). Assim, tudo o que fazemos nesta vida tem um valor eterno.

 

8. Qual a vontade de Deus?

Vassula diz: “Muitos dizem que querem fazer a Vontade de Deus, mas dizem que não sabem qual é a Vontade de Deus. "Amar, é fazer a Vontade de Deus”, diz Nossa Senhora na Mensagem (AVVD-6 a 8 de dezembro de 1993)”. O Amor deve ser o guia e a base de todas as nossas ações, nossos pensamentos e nossos corações. Se amamos a Deus e uns aos outros, não falamos mal ou criticamos uns aos outros. Não tem utilidade rezar Rosários, ir à Missa e até mesmo fazer obras de caridade se não fizermos tudo com amor. "Não é aquele que diz: 'Senhor, Senhor!' que entrará no Reino dos Céus, mas aquele que faz a Vontade de Deus”(Mt 7,21).

Nossa Senhora diz: “Que tudo o que fizerdes se faça com o coração, com amor(AVVD-6 a 8 de dezembro de 1993).

ORAÇÃO

ORAÇÃO


1. Rezar com o coração

A oração que Jesus deseja é aquela que sai do coração.

Vassula conta que um dia ela fez suas orações com pressa, pois queria logo começar a escrever com Jesus. Quando ela terminou a oração, Jesus calmamente disse: “Vassula, a oração não tem sentido se não vem do coração”.Ela percebeu o seu erro e fez novamente a oração, pensando em cada palavra. E Jesus disse: “Exprime-te sempre a sentir-Me, como agora mesmo o fizeste. (...) No teu pedido, Eu devo sentir o amor que brota do fundo da tua alma, que Me deseja, que Me ama e que pensa em cada uma das palavras que diz. (...) Cada oração dita apenas com os lábios é tão vã como um grito numa sepultura(AVVD-30 de setembro de 1986).

Vassula diz: “Quando rezarmos é importante que façamos uma ideia real de Deus, que O tenhamos diante de nós. Assim poderemos falar-Lhe do fundo do nosso coração. Imagine a figura de um Deus, que está vivo em frente de você enquanto você reza.

Deus só é louvado plenamente com as orações que saem do coração, que são ditas lentamente e entendidas no seu significado e nas quais vocês compreendam que estão, naquele momento, falando para o vosso Deus, que ouve cada uma das palavras. Ele prefere as orações espontâneas, vindas do coração. É o coração que conta e não a palavra. O que mais O impressiona, o que mais O toca é o coração. É verdade: uma manhã, pensei em Jesus com amor; queria dizer-Lhe muitas coisas, mas não encontrava palavras. Então, suspirei e Ele compreendeu muitas coisas, pelo meu suspiro. E me disse: “O teu suspiro, noiva, é como um milhão de palavras de amor por Mim(AVVD-09 de amio de 1987).

Muitas pessoas dizem: “Deve-se fazer esta oração... esta oração... esta oração”. “Deve-se”. Claro, que é bom dizer orações... mas se dissermos apenas por dever, isso acaba por ser uma oração, como Ele mesmo me disse uma vez, “apenas de lábios” e não uma oração do coração”.

Vassula conta: “O Senhor pediu-me, uma vez mais, que rezasse o "Pai Nosso", na Sua Presença. Ajoelhei-me e rezei lentamente. Era como se Ele Mesmo me o estivesse a aprovar com a Cabeça e me fizesse compreender que, quando a oração vem do coração, eu vejo-O diante de mim, face a face. Jesus aprova muitíssimo este modo de rezar”.
Jesus diz: “Sim, Vassula, satisfaz-Me, rezando deste modo, reza com amor” (02.05.88).

 

2. Deus ama a simplicidade

Ele deseja que nos aproximemos Dele, sem medo e com confiança, falando a Ele com palavras simples.

Ele diz: “... enche-Me de alegria com a tua simplicidade de palavras: a simplicidade inebria-Me. Diz-Me palavras tuas, deixa que as ouça de novo, diz-Me: "Amo-Vos, Jesus; Vós sois a Minha alegria, a minha respiração, o meu repouso, a minha vista, o meu sorriso" (AVVD-31 de maio de 1987).

E disse à Vassula: “Diz-lhes que as palavras simples que vêm do fundo do seu coração são mais doces que as palavras complicadas que vêm dos seus lábios(AVVD-25 de abril de 1988).

(...) Um sorriso, um pensamento, uma palavra meiga; uma só palavra que venha do coração logo será acolhida como um milhão de orações. Tudo isto é de uma grande importância: mesmo um simples pensamento... o acolherei Eu, como se se tratasse da coisa mais preciosa(AVVD-07 de dezembro de 1989).

 

3. Vassula conta alguns exemplos de orações simples

1) Numa manhã, Vassula disse a Jesus: “Jesus, amo-Vos”. E Jesus disse: “Ó Minha filha, quanto Eu suspiro por ouvir essas mesmas palavras de todos os lábios! “Jesus, amo-Vos!(AVVD-06 de março de 1987). “Di-lo, di-lo mais vezes, deixa que Eu o ouça, amo ouvi-lo, di-lo mil vezes por dia e todas as manhãs, depois do teu repouso em Mim; põe-te diante de Mim e diz-Me: “Meu Senhor, eu amo-Vos(AVVD-05 de maio de 1987).

2) Vassula disse a Jesus: “Jesus, eu amo-Vos extremamente!”.

Jesus respondeu: “Ah!... Como essas tuas palavras são um verdadeiro bálsamo para Mim e, nos mistérios do Meu Reino, a salvação de uma alma(AVVD-26 de dezembro de 1994).

3) Vassula diz: “Um dia eu estava numa igreja, adorando o Senhor e falando em francês com Ele. De repente, me dei conta de que estava falando em francês e disse a Jesus: “Mas por que estou falando em francês? Quero falar-Vos em inglês”. E imediatamente, Jesus me disse:Preferiria que Me falasses com o teu coração(AVVD-08 de outubro de 1989)”.

4) “Outro dia, eu estava novamente numa igreja, ouvindo o coro cantando, e disse a Jesus: “Gostaria de ter, uma bela voz, para me sentir em condições de Vos cantar, no coro da igreja”. Jesus me respondeu:Canta-Me com o teu coração; Eu alegro-Me muito mais, se é o teu coração que Me canta(AVVD-06 de janeiro de 1991)”.

5) Vassula estava contemplando a foto do Santo Sudário. Jesus veio e disse: “Vassula, contempla o Meu Santo Rosto. Só o fato de Me teres contemplado Me consola. Diz-lhes que basta tão pouco para Me consolar(AVVD-07 de junho de 1987).

 

4. Nossas orações poderão ser poderosas se elas vêm do coração

O Senhor nos diz: “Oh! Se ao menos soubésseis quão poderosas são as vossas orações e qual pode ser o seu esplendor, se vêm do vosso coração! As vossas orações podem destruir todo o império do mal, neste mundo...(AVVD-13 de abril de 1994).

Aprendei a rezar, para que Eu vos possa ouvir. Muitas orações voltam a cair sobre a terra, sem nunca Me atingirem(AVVD-19 de fevereiro de 1988).

 

5. A oração afasta os demônios

Vassula diz: “Satanás é um verdadeiro flagelo. Quanto aos outros demônios, não lhes presto grande atenção; também eles me perturbam, mas estes são semelhantes a moscas que zumbem à minha volta e têm verdadeiro medo de mim. Contudo, eles são maliciosos. Estes demônios sentem-se mais fortes, quando encontram uma alma adormecida, enfraquecida ou hesitante. As orações matam os demônios e os mantêm à distância. A fé no Amor e na Misericórdia do Senhor destrói estes demônios, que zumbem à volta dos nossos ouvidos para "sugerir-nos" um mal, sob as aparências da Verdade e em oposição ao Amor. É por isso, que o Senhor deseja que estejamos atentos e constantemente em oração. Uma oração constante mantém afastados tanto estes demônios como o próprio Satanás. As orações formam como que uma barreira de defesa à nossa volta, impedindo Satanás e todos os outros demônios de se aproximarem. Sim, é uma batalha constante.

 

6. Através da oração poderemos encontrar as soluções de todos os nossos problemas

Vassula diz: “Jesus nos pede que rezemos com amor. Assim, através da nossa oração, poderemos encontrar as soluções de todos os nossos problemas. Ele nos diz que, quando invocamos o Santo Nome do Senhor, o demônio desaparece. O mundo necessita mais do que nunca de orações do coração, porque este é o único meio de alcançar Deus”.

Nossa Senhora nos diz: “As vossas orações podem mudar o mundo; as vossas orações poderão obter Graças de Deus, pela conversão dos pecadores e quanto mais conversões houver, tanto mais orações serão dirigidas a Deus e serão, assim, causa de novas conversões(AVVD-24 de novembro de 1991).

 

7. Jesus pede para acrescentar em nossas orações "Não se faça a nossa vontade, mas a Vossa"

Jesus diz: “Bem-amada, diz-lhes que Me deem liberdade de agir como Eu desejo; que, nas suas orações e em todos os pedidos que Me fazem, devem acrescentar: "Não se faça a nossa vontade, mas a Vossa". Aprendei de Mim(AVVD-18 de junho de 1987).

Jesus diz: “Eu sou o Onipotente e conheço aquilo que é melhor para a tua alma. Se alguém de vós Me faz uma pergunta ou Me pede um favor, Eu responder-lhe-ei. A Minha resposta será, então, a mais salutar para o bem da alma. É como se Eu escolhesse, entre todos os frutos, o fruto ideal, o que dê os melhores resultados para a alma(AVVD-04 de março de 1987).

Vassula diz: “Jesus disse-me: Se me pedes uma coisa, és como alguém que está doente e tem necessidade de vitaminas. E, então, Eu dou-lhe frutos, segundo as vitaminas que eles contêm. Se tem necessidade de vitamina C e Me pede uma banana, Eu tenho de dar-lhe uma laranja. Por conseguinte, ele obtém uma coisa que não pediu, mas que vai fazer-lhe bem”. É assim que Deus responde.”

 

8. Oração sem cessar

Jesus veio e disse a Vassula: “Vassula, quero que rezes sem cessar”. Vassula, assustada, disse: “Mas, Senhor, isso é impossível, porque eu tenho uma família e, por isso, não posso ficar o dia todo rezando; eu não posso rezar continuamente”. E Jesus, com uma pontada de humor, lhe disse: “Ah! Vassula, como Eu tenho pena de você, você não entendeu nada. Rezar sem cessar, não quer dizer que você deva estar 24 horas de joelhos. Rezar sem cessar significa quando o teu coração passar a Me desejar o dia inteiro, quando o teu coração tiver sede de Mim, quando o teu coração ansiar por Mim o dia inteiro. É ter sede de Mim, teu Deus. É amares-Me com todo o teu coração, com toda a tua mente; porque, se tu o fizeres, se Me amares, a tua alma torna-se sedenta de Deus. Não apenas por dois minutos, mas durante todo o dia”.

Vassula diz: “Não se trata apenas de repetir as orações que conhecemos. A oração contínua é estar consciente da Presença de Deus. É o que Ele mesmo diz, no Evangelho: Estai vigilantes, não durmais” (Mt 26,41) e “Vigiai e orai” (Mc 14,38). E isso quer dizer: ter consciência da Presença de Deus”.

 

9. Usando a palavra "Nós" não esqueceremos a presença de Deus e estaremos em oração constante

O Senhor disse à Vassula: “Gostaria de ser o teu Santo Companheiro, mas é preciso que tu não Me esqueças. A partir deste momento, aprende a dizer “Nós”. Diga: Jesus, Nós vamos fazer isto... Jesus, Nós estamos atrasados”.

... aprende a dizer: "Vamos trabalhar, façamos isto ou aquilo"; utiliza a palavra Nós...” (AVVD-07 de março de 1987).

Vassula diz: “Jesus está em toda parte onde estamos. Fale com Ele. Diga-Lhe tudo o que vocês quiserem. Diga: Jesus, eu estou com dor de cabeça, hoje. Diga: Jesus, nós agora vamos sair... Não esqueça nunca de levar Jesus com você. Se partilharmos o dia com Ele, pedindo-lhe para participar conosco daquilo que fazemos, durante o dia, tomamos verdadeiramente consciência da Presença de Deus. E, quando estivermos conscientes desta Presença, estaremos vivendo uma Verdadeira Vida em Deus. Pecaremos menos, pois teremos a consciência de que Jesus estará ao nosso lado”.

Jesus diz: “Oh! Quanto Eu desejo que os Meus filhos se deem conta da Minha contínua Presença! Estou sempre ao pé deles, tão Presente, em qualquer lugar e a todo o momento. Oh! Se tivessem consciência disso, cairiam menos, pecariam menos(AVVD-08 de março de 1988).

A concepção do “Nós”, quando falamos com Jesus e quando O convidamos a participar dos acontecimentos diários das nossas vidas, parece, à primeira vista, muito infantil. Mas fazer isso, é fazer do Senhor o nosso companheiro constante, é fazer uma “oração sem cessar”, o que nos conduz para mais perto de Deus.

Jesus diz: “Fazei-me participar nas vossas atividades, nos vossos diálogos e nos vossos pensamentos(AVVD-24 de outubro de 1988).

Vassula conta:
1)“Eu estava em ditado com Jesus, quando lembrei que precisava me encontrar com minha irmã, no centro da cidade. Então, eu disse a Jesus: “Vamos, Jesus, preciso tomar um ônibus”. Quando entrei no ônibus, vi que Jesus sentou ao meu lado, na cadeira que estava vazia. Eu O vi com os olhos da alma. Quando veio o cobrador eu disse: “Um bilhete, por favor!”. Eu paguei o bilhete e me virei para Jesus e disse-Lhe: “Você viu, nós o enganamos! Nós somos dois e eu paguei apenas uma passagem!”. Então, Ele virou-se para mim e disse:Nós não estamos unidos, como uma só pessoa? Então, um bilhete basta”.

2) Vassula havia passado no dia anterior, sete horas sob o ditado de Jesus e neste dia, mais seis horas. Como ela desejava arrumar a cozinha, perguntou a Jesus: “Jesus, poderemos fazer outra coisa, agora?”. E Jesus, sem a mínima hesitação, disse: “Então, vamos!”. E parecia muito impaciente, manifestando o desejo de que começasse a limpeza imediatamente. Comportava-Se como se tratasse de um trabalho importantíssimo e urgente... (AVVD-31 de janeiro de 1990).


3) Vassula estava em ditado com Jesus, quando lembrou que, uma hora atrás, havia colocado no forno algo para aquecer. Quando se lembrou do forno, ela disse: “Jesus, penso que é preciso ir!”. Jesus disse: “Para onde?”. Vassula disse: “Lá para baixo, para controlar o forno, que está aceso!”. E Jesus então disse: “Então vem, vamos!(AVVD-16 de maio de 1987).

4) Um dia, Jesus veio e disse: “Vem, Minha filha, pega na Minha Mão e vamos. Vem, temos tanto que fazer!”. Vassula disse: “Este trabalho ou o outro, em casa?”. Jesus respondeu: “Os dois, Minha filha: onde tu estás, estou também Eu(AVVD-25 de maio de 1987).

5) Uma vez eu fui me encontrar com uns amigos, e estava falando com eles sobre coisas pequenas, sem importância. De repente, vi Jesus, nos observando. Ele estava conosco, ouvindo e acompanhando a conversa, que não era nada importante. Eu não pude acreditar. Eu O vi, como de costume: com os olhos da alma. E eu disse: “Não. Desta vez eu devo estar enganada. Não é possível que Jesus esteja aqui, ouvindo este “bate-papo”, sobre algo banal, nada interessante nem espiritual”. E aí eu O ignorei. Ao chegar a casa, Jesus veio novamente e disse:Por que você Me ignorou? Era Eu. Você me viu sentado lá. Então por que Me ignorou?”. Eu disse: “Jesus, eu nem acreditei que Você estaria lá ouvindo aquela conversa. Como Você poderia ter interesse numa conversa sobre algo banal?”. Ele disse: “Não sou seu Santo Companheiro? Sou seu Santo Companheiro todo o tempo que estou com você e gosto de compartilhar tudo com você, gosto da sua conversa, quero participar”.Eu, então, disse: “Como é possível!

6) Vassula estava em ditado com Jesus e, quando terminou, apressou-se a fazer outras coisas, sem antes bendizer e louvar o Senhor. De repente, ela percebeu e envergonhou-se de ter tratado Jesus como um simples humano, esquecendo que Ele era Divino. Voltou para pedir que a perdoasse e encontrou-O calmo e triste.

 

10. Nossas orações devem ser pelas intenções de Jesus e Maria

Vassula disse que nestes tempos, devemos oferecer tudo pelas intenções de Jesus e Maria, e não mais apenas pelas nossas intenções. Jesus e Maria sabem muito melhor do que nós, quem precisa e aquilo de que precisa. A oração chega sempre de toda parte, e Jesus e Maria tomam e aplicam naquilo que é mais necessário. Eles sabem muito bem repartir.

 

11. Oração contemplativa

Vassula e um padre estavam conversando sobre qual seria a oração mais agradável ao Senhor. Os dois concordaram que seria o silêncio, na contemplação. Jesus então lhe diz: “Sim, Minha Vassula, na verdade, o silêncio é a oração mais eficaz. Encontra-Me, no Meu Silêncio; no Meu Silêncio, que o teu espírito se lance em Mim e seja por Mim arrebatado(AVVD-09 de março de 1991).

Eleva para Mim a tua alma, afastando todos os demais pensamentos; recolhe-te e sente a Minha Presença. Que a tua alma suba à contemplação, pela meditação. Atinge-Me, a Mim, teu Deus, no silêncio; vem a Mim, na adoração contemplativa(AVVD-04 de dezembro de 1989).

Com a meditação, tu chegarás a um nível mais alto de contemplação(AVVD-31 de julho de 1987).

 

12. Há pessoas que dizem que rezam e rezam e nunca sentem Deus no seu íntimo

A estas pessoas o Sehor diz: “Oh! Vem! Tu, que tens andado sempre a vaguear por esse deserto, dizendo: "Procurei o meuRedentor, mas não O encontrei". Encontra-Me, Meu bem-amado, na pureza de coração, amando-Me com desinteresse; encontra-Me na santidade, no abandono que desejo de ti. Encontra-Me, observando os Meus Mandamentos. Encontra-Me, substituindo o mal pelo Amor. Encontra-Me, na simplicidade de coração.

Não peques mais; deixa de fazer o mal; aprende a fazer o bem; procura a justiça; ajuda o oprimido.

Que esse deserto e essa aridez exultem. Que o teu torpor se infla-me numa chama abrasadora. Abandona a tua apatia e substitui-a pelo fervor. Faz todas estas coisas, a fim de que possas dizer: "Procurei o Meu Redentor e encontrei-O. Estava sempre ao pé de mim; mas, na minha cegueira, não conseguia vê-Lo. Oh! Glória a Deus! Bendito seja Nosso Senhor! Como consegui eu ser assim tão cego?".

Lembrar-te-ei, pois, que observes e guardes com muito apreço os Meus Princípios, a fim de que possas viver” (AVVD-17 de junho de 1991).

 

13. Deus sempre responde as orações

Vassula diz que Deus sempre nos responde. Quando falamos “Jesus”, Ele responde “Eu Sou”. Isto é certo, ela diz.

Vassula conta: “Uma amiga me disse: “Vassula, para você é fácil, porque, quando você diz “Meu Deus, meu Senhor, Jesus”, Ele responde: Eu Sou”.”

Eu disse a minha amiga: “Deves compreender que tu própria deverás ter a certeza de que Ele te ouve, porque a verdade é que Ele te ouve... No dia seguinte, estávamos viajando de carro e ela estava a rezar o rosário ortodoxo, que é (Jesus Cristo, Filho de Deus e Salvador, tende piedade de mim, pecador.) Mas eu não estava ouvindo porque estava com o fone de ouvido, ouvindo outra coisa. Aconteceu que quando ela estava na terceira conta, e disse: “Jesus Cristo”, eu estava olhando para a frente e não a ouvia. Mas, a verdade é que eu disse: “I am – Eu Sou”. Ela olhou para mim sorrindo e eu não sabia por que razão ela estava sorrindo. Quando tirei o fone de ouvido, ela disse-me: “Que majestoso Eu Sou este que agora aconteceu”. Então, eu lhe disse: “Mas qual Eu Sou se eu não disse nada?”. Mas ela disse-me: “Sim, tu disseste: Eu Sou”. Jesus quis provar-lhe, através da minha boca que Ele responde. (Ele falou, sem eu o perceber). É por isso que, nos Mandamentos, Ele mesmo diz que não pronunciemos o Seu Nome em vão, porque Ele responde.

 

14. Jesus sente as nossas ações

Vassula conta: “Um dia, no momento do ditado, vi Jesus com os olhos da minha alma, sentado perto de mim. Diante de mim tinha uma imagem do Sagrado Coração. Enquanto Ele falava, inesperadamente, curvei-me sobre a imagem do Sagrado Coração e beijei-a, na face direita; precisamente onde O tinha beijado, na imagem, estava com um olhar admirável e puro de criança e extraordinariamente feliz. Eu aprendi que Jesus misticamente, de certo modo, sente os nossos gestos e propósitos, tidos mesmo simplesmente com a Sua imagem.

Outro dia, em Bangladesh, enquanto eu estava sob ditado, tocando o Seu Santo Rosto, na imagem do Santo Sudário, no meu espírito, tinha empurrado suavemente para trás os Seus Cabelos, do lado esquerdo. A Sua reação imediata surpreendeu-me! Eu Lhe perguntei: “Jesus, sentistes verdadeiramente a minha mão?”

Ele disse-me: “Sim, Vassula(AVVD-23 de março de 1987).

Fiquei muito surpreendida e, pensando tê-Lo ofendido, pedi-Lhe desculpas. Mas Ele, subitamente, fez-me compreender que O não tinha ofendido.

EUCARISTIA/ADORAÇÃO

EUCARISTIA/ADORAÇÃO


1. O que é Eucaristia

Deus Pai diz: “Não é no simples pão e vinho, aquilo em que tomais parte, mas tomais parte no próprio Deus(AVVD-30 de junho de 19999).

Jesus diz: “Cada vez é dada menos importância à Minha Eucaristia(AVVD-16 de outubro de 2000).

Vassula conta: “ Para falar sobre a Eucaristia, Jesus aproveitou um momento em que eu estava com muita fome."

Jesus me chamou para receber um ditado. Ele me disse: "Você está com fome?”. E eu logo disse a verdade: “Sim, Senhor, estou mesmo com fome”. Ele desviou a conversa e disse solenemente: “Tenha sempre fome do meu Pão”. Claro que aí eu entendi que Ele estava falando da Eucaristia. E eu disse: “Mas, Senhor, eu estava falando do outro pão”. Ele disse: “Eu sei, mas o que é mais importante? Seu pão ou o meu Pão?”.Pensei um pouco e disse: “Ambos são importantes”. E Ele disse: “Sim, mas o teu pão não vai durar por muito tempo, enquanto que o meu Pão é para a eternidade”.”

Vassula diz: “Jesus nos convida a recebê-Lo com frequência”.

Jesus diz: “Não Me negues estes momentos de amor, estes momentos de Santa Comunhão (AVVD-12 de maio de 1990).

Aproxima-te de Mim, tu que Me desejas, que Eu te alimentarei, oferecendo-te Meu Coração, sob a forma escondida da Eucaristia, para te transfigurar num vivo sacrário(AVVD-25 de outubro de 1994).

Fiz-Me mais Pequeno que nunca, na Pequena Hóstia Branca! Tomando-Me, aceitas-Me; e, aceitando-Me deste modo, tu reconheces a Verdade. Eu e tu somos Um Só Todo, nesse momento; tu estás em Comunhão Comigo. Que maior Delícia poderá haver do que estares Comigo, teu Deus? Que Encontro mais puro e santo? Eu, teu Deus, encontrando-te a ti, Minha criatura; Eu, teu Redentor e tu, aquela que Eu Mesmo remi. Eu, Jesus, amo-te loucamente. Como poderão ainda alguns de vós, duvidar do Meu Amor e ultrajar este Amor Puro e Santo? Como poderão muitos de vós, duvidar da Minha Santa Presença na Hóstia? A Minha Santa Eucaristia não deveria ser desperdiçada ou maltratada, como se não fosse Santa. Se compreendêsseis plenamente Aquilo que Eu vos ofereço e Quem recebeis em vós, bendir-Me-íeis continuamente. Olhai! Até os Meus Anjos, que vos olham do Alto, desejam este Alimento que vós podeis tomar; mas eles não o podem(AVVD-29 de setembro de 1989).

 

2. Jesus deseja a adoração

Jesus diz: “... a tua era recusou-se a dar-Me adoração, que é vosso dever para Comigo, mas que é também vossa vida(AVVD-27 de junho de 1991).

Jesus desejaria que viéssemos mais vezes adorá-Lo. Deseja que haja muitas horas de adoração, sobretudo da parte dos padres. Prefere que seus padres ponham de lado os afazeres burocráticos para irem adorá-Lo.

Se você diz que ama a Jesus, então, prove seu amor e O visite no Seu Tabernáculo e nos momentos de adoração ao Santíssimo Sacramento. Mostre-lhe o seu amor com sua presença, mesmo se você não disser nada e permanecer em silêncio diante Dele. Jesus aprecia tudo. Ele agradece a sua presença, e, em troca, nos chama para o Seu Sagrado Coração.

Jesus diz: “Eu sou o Prisioneiro do Amor, por detrás de cada Sacrário, que aguarda e espera ver-vos chegar(AVVD-29 de setembro de 1989).

Eleva para Mim a tua alma, afastando todos os demais pensamentos; recolhe-te e sente a Minha Presença. Que a tua alma suba à contemplação, pela meditação. Atinge-Me, a Mim, teu Deus, no silêncio; vem a Mim, na adoração contemplativa(AVVD-04 de dezembro de 1989).

Pede-Me a Sabedoria e Eu multiplicá-La-ei, em ti. Pede-Me o Discernimento, e Eu derramá-Lo-ei, em ti. Pede-Me estas coisas quando Me adoras(AVVD-23 de agosto de 1989).

PECADO e CONFISSÃO

PECADO e CONFISSÃO


1. O que é pecado

Vassula diz: “O pecado é quando nossos corações estão cheios de hostilidade, sendo hostil, arrogante, com falta de perdão, preconceito, dureza de coração, com gestos não caritativos”.

Jesus diz: “O pecado é semelhante a um veneno em vós e, quanto mais tempo ele permanece em vós tanto mais doentes ficais, atirando-vos assim para mais perto da morte (morte espiritual). Quanto mais tardais em vos purificar dele, tanto mais vos arriscais a morrer. Podereis ser libertos e curados do veneno do pecado, se vos humilhardes a vós mesmos e vos derdes conta de que o único remédio para purificar os vossos pecados é passardes pelo arrependimento(AVVD-01 de junho de 2002).

 

2. A confissão nos liberta

Jesus diz: “Libertai-vos, com a confissão...(AVVD-30 de julho de 1990).

Quando, no início, Jesus veio e falou em Confissão, Vassula não quis escrever, pois era contrária a ir até um padre e se confessar. Ela mesma disse a Jesus: “Por que eu tenho que ir a um padre se vos tenho comigo e posso assim me confessar direto com você?”. Jesus disse muito seriamente: “Vassula, você sabe que Sou Eu quem fala com você e estou dizendo a você que quero que você se confesse com um padre, pois ele me representa. Fui eu quem deu esta ordem”.

A partir daí, Vassula passou a confessar-se, pois entendeu que se tratava de uma ordem dada por Jesus aos seus apóstolos. Entendeu que se não cumprisse as suas ordens, estaria sendo rebelde; e hoje o mundo tornou-se rebelde, não quer mais obedecer aos Mandamentos e aos preceitos do Senhor. E se não aceitarmos a Misericórdia de Deus, será aplicada a Sua Justiça a nós. A Justiça de Deus é tão grande como a Sua Misericórdia. Jesus diz: “Não digais: "Por que confessar-me? Não tenho nada a dizer ao meu confessor”. Não sejais, também vós, um dos que perderam o sentido do pecado; estais muito longe de ser perfeitos(AVVD-29 de setembro de 1989).

Se soubésseis até que ponto é verdadeiramente alarmante o não conhecer a causa dos próprios pecados, o não sentir os próprios pecados e o ter mesmo perdido o sentido do que é bem e do que é mal!(AVVD-02 de outubro de 1989).

Confessai os vossos numerosos pecados(AVVD-29 de agosto de 1989).

Eu salvo todos aqueles que se aproximam de Mim. Respondo a todos com muita Compaixão, porque sei quanto sois frágeis e quão facilmente sois tentados pelo Tentador(AVVD-29 de setembro de 1989).

Deus Pai nos diz: “Ai daquele que Me ofende, recusando a confissão e a absolvição, e vem receber o Meu Filho em estado de pecado!(AVVD-20 de março de 1991).

Há muitas pessoas que me dizem: “Por que é que eu tenho de ir me confessar?”. E muitas destas pessoas já não se confessam, há oito ou dez anos, e mesmo assim vão à Sagrada Comunhão. Dizem: “Eu não roubei, não matei ninguém, não fiz nada de errado... por que é que tenho de me confessar?” Deste modo, eles estão a pensar que são perfeitos, pensam que são retos. Ora, eu digo: “Só pelo fato de julgardes que sois justos, já tereis de vos confessar. Realmente, amais a Deus, com todo o vosso coração e com toda a vossa mente? Amais o vosso próximo como a vós próprios? Estes são os Mandamentos de Deus. E ninguém pode dizer que os cumpre cem por cento. É por esta razão que nós devemos ir confessar-nos: porque nós não vivemos os Seus Mandamentos como Deus deseja que os vivamos.

Jesus quer que todos nós nos confessemos pelo menos uma vez por mês.

Existe ainda uma outra confissão. Deus quer que lhe peçamos per- dão a Ele diretamente, todos os dias, porque todos os dias pecamos, apesar de não desejarmos pecar. Deus explicou-me que é como quando nós tomamos um banho, de manhã. Ficamos perfeitamente bem; mas, desde que saímos do banho, verdade que não O vemos, mas o pó que gira no ar, por toda a parte, cai em cima de nós, e, no fim do dia, importa voltar a tomar outro banho. O pecado é assim mesmo. E, tantas vezes, nem nos apercebemos disso. É preciso pedir perdão a Deus, todos os dias”.

 

3. Jesus perdoa sempre

Jesus diz: “... vinde aos Braços do vosso Salvador, com as vossas culpas, que Eu vos purificarei e vos curarei, vos tornarei divinos, porque Eu sou a Divindade, vos tornarei perfeitos! Vinde a Mim como sois; não tenhais medo de Mim, que Eu sou um Deus de Amor, sou cheio de Misericórdia para com os miseráveis!

Espero-vos ardentemente. O Meu Amor por vós étão Grande que Eu, o Santo dos Santos, o Eterno e Soberano de toda a Minha Criação, Me inclino para vós para vos alcançar e curar as vossas enfermidades. Estou sempre no meio de vós, e até ao fim(AVVD-21 de novembro de 1988).

Vem procurar-Me com simplicidade de coração; não fiques em dívida, com o teu pecado: pede perdão, que Eu Mesmo te perdoarei(AVVD-19 de junho de 1995).

 

4. Pecado contra o Espírito Santo

Vassula diz: “Se você vê os frutos da Mensagem de A Verdadeira Vida em Deus, e percebe a ação de Deus, a graça de Deus, e ainda afirma que não vem de Deus, mas do espírito do mal, então é um pecado contra o Espírito Santo. Isto foi o que Jesus chamou de pecado contra o Espírito: "Eles viram os milagres e boas obras e eles dizem que foram realizadas com o poder de Belzebu".

­