Notícias

CIRCULAR Nº: 32/2017 - Carta e apelo de Vassula


ASSOCIAÇÃO A VERDADEIRA VIDA EM DEUS - BRASIL



CIRCULAR Nº: 32/2017

Data: 03 de dezembro de 2017



Carta e apelo de Vassula

Imigrantes iranianos - Nada é por coincidência

Vassula incluiu fotos em sua carta e elas podem ser vistas em: http://www.tlig.net/afshinPhots.pdf

Os detalhes da conta bancária de Afshin para doações encontram-se no final da carta de Vassula.



Vocês devem saber, alguns de vocês, quem é Afshin Javid. Afshin era um jovem extremista muçulmano que procurava agradar a Deus, mesmo caminhando num campo minado, mas seu objetivo era converter os "infiéis" — os cristãos — como alguns dos extremistas nos chamam. Em determinado momento, quando foi preso por estar com passaportes ilegais na Malásia, ele foi atacado por um espírito maligno que o estava sufocando. Ele pediu a ajuda de Alá, mas ouviu uma voz dizendo: invoca o nome de Jesus! E ele fez isso! E foi socorrido.

Isso o deixou confuso. Ele pediu a Deus para lhe mostrar a verdade e o caminho. Então jejuou por duas semanas e rezou, mas não obteve nenhuma resposta e nenhum sinal. Furioso, começou a duvidar de que Deus existisse, mas foi tomado pelo medo, pensando, então, que agora estaria condenado por ter duvidado.

Ele pediu a Deus para perdoá-lo. Então, de repente, Jesus apareceu a ele e simplesmente lhe disse: "Eu o perdoo!"... "Quem é você?", Afshin perguntou. "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida", respondeu Jesus. Afshin ficou ainda mais confuso e perguntou o que isso significava e Jesus disse: "Eu sou Jesus Cristo".

Esta experiência fora do normal fez com que ele percebesse, em um segundo, como esteve enganado toda a sua vida. Enganado por acreditar que, em nome de Alá, ele deveria matar e, ao perceber que não era assim que Deus era, e que Deus é Amor, Deus é Perdão, ele ficou arrasado e chorou sem parar durante duas horas inteiras enquanto Jesus ainda estava de pé diante dele.;

Hoje, Afshin tornou-se um cristão muito fervoroso cujo coração arde quando fala sobre Jesus. Ele viaja ao redor do mundo, testemunhando o Amor de Jesus e como Jesus perdoa rápido. Sua missão é abordar os muçulmanos e testemunhar contando-lhes sobre sua experiência com Jesus e quem é Jesus. Muitas centenas se converteram depois de suas palestras.

Como ele passou por momentos muito tenebrosos e difíceis em sua vida, e por ter tido a experiência da prisão, na época, como imigrante, ele sabe o que é começar uma vida nova em um ambiente desconhecido de um país, sozinho, como refugiado, com apenas uma mochila nas costas e sem um futuro, por assim dizer. Mas o pior de tudo era ser visto pelos que passavam por ele na rua como uma minoria, como um lixo, e não receber nenhum gesto de solidariedade, de atenção, de carinho, tendo gente pensando: "Ah! mais um destes nos invadindo..."

Hoje, o coração de Afshin está sangrando ao ver esses jovens imigrantes iranianos, provenientes de boas famílias, chegando a um país sem nada e sem conhecer ninguém, sofrendo como ele sofreu, sendo que alguns deles se converteram ao cristianismo. Ele descobriu recentemente mais alguns imigrantes iranianos que vivem em grandes contêineres há um ou dois anos, contêineres que são usados para transportar grandes materiais que são carregados em caminhões ou em navios. Eles usam esses contêineres como moradia na Alemanha, sem instalações sanitárias, sem aquecimento. Afshin visitou essas pessoas e as levou à sua casa para alimentá-las, mas mesmo sua casa, como eu disse, precisa de reparos.

Jesus o inspirou a ajudá-los dando-lhes um abrigo, mas, acima de tudo, dando-lhes carinho e amor. Ele luta sozinho com sua esposa Elmira, que também era uma imigrante iraniana e trabalha em Colônia [Alemanha] como professora, para atender a esse chamado. Depois de 30 anos, ele finalmente conseguiu comprar uma casa com sua esposa em Colônia. O objetivo da casa é abrigar qualquer novo imigrante, mas também reunir os iranianos convertidos, que se tornaram cristãos, para manter viva sua fé rezando juntos.

Fui convidada para a inauguração dessa casa que ele tem em Colônia, a que Afshin deu o nome de: Cyrus' Call [o Chamado de Ciro]. Será um movimento cristão com esse nome. Quando cheguei à casa de Afshin, ela estava lotada. Estavam naquele momento louvando a Deus cantando. Muitos deles, se não todos, ainda estão profundamente traumatizados psicologicamente pelo que passaram na infância. Vai demorar muito tempo para que sejam curadas as feridas que receberam. Eles precisam de muitas orações para que fiquem curados de seus traumas. Ouvimos seus testemunhos e, enquanto falavam revivendo sua provação, eles estavam chorando porque tudo aquilo doía muito.

Hoje, esses jovens imigrantes já têm uma formação escolar e estão empregados. Alguns deles falam a língua alemã sem qualquer sotaque e estão felizes, integrados e estabelecidos no país. Eles são agora como uma grande família, solidários uns com os outros, reunindo-se e nunca perdendo o contato.

Bem na véspera de eu ir para a Alemanha — e isso não é uma coincidência —, enquanto eu passava de um canal para outro procurando um programa, parei num programa que a TV suíça havia documentado sobre 6 jovens iranianos (o mais novo tinha 16 anos) que haviam fugido do Irã e viviam clandestinamente num pequeno apartamento em Atenas. Eles queriam sair de Atenas e ir para qualquer lugar para o norte. Estavam esperando por um passaporte falso para poder sair do país, eles não tinham nada. Viviam como ratos, com colchões no chão, e sentindo medo o tempo todo de serem pegos. Eles estavam, aos poucos, começando a perder o equilíbrio emocional, e se poderia dizer que essas circunstâncias desumanas talvez deixassem neles cicatrizes psicológicas permanentes. A impressão que se tinha era a de que eles eram, a maioria deles, provenientes de boas famílias, com um bom padrão de vida, e haviam deixado irmãs e pais.

Este filme mostrou os sofrimentos, como alguns desistiram e retornaram ao Irã correndo o risco de serem mortos; outros fizeram greve de fome durante um mês, quase morrendo; outros foram mais abençoados e receberam o passaporte falso para sair. Mas os que ficaram para trás estavam esperando por um telefonema dos que haviam conseguido escapar para saber se tinham chegado salvos no destino. Eles se preocupavam uns com os outros.

No entanto, nós vimos que essa casa em Colônia precisa de um bom reparo. Isso vai custar muito se Afshin empregar profissionais. Nossa sugestão foi a de que deveríamos pedir por voluntários aos nossos membros da AVVD, caso conheçam alguém na Alemanha, ou nas proximidades, que queira oferecer ajuda para renovar essa casa, equipando-a. A IKEA é uma solução, mas são necessários eletricistas, trabalho de alvenaria, carpintaria e, principalmente, encanadores. Estou escrevendo isso para que você tome conhecimento e caso queira contribuir para um trabalho de caridade, seja dando uma ajuda na construção ou contribuindo financeiramente para os reparos. Abaixo estão as referências sobre onde você pode oferecer uma doação.

No estado em que se encontra a casa, eles não têm móveis e os jovens que vieram de outros lugares tiveram que ser acomodados em colchões e sacos de dormir. Não havia cadeiras para esse evento e a AVVD, junto com a Elmira, teve que alugar algumas. O resto do pessoal sentou-se no chão. Mas o que é mais necessário é uma reforma considerável dentro da casa.

Tenho a confiança de que haverá alguém que possa dar uma ajuda e contribuir para esse projeto de reforma.

Receba o meu amor e bênção,

Em Cristo,
Vassula


Swift code CHASUS33
Account 000000962504494
JPMORGAN CHASE BANK
270 Park Ave
New York
10017
USA


Afshin Javid
1043 Shavington st
North Vancouver
BC V7L 1K7
Canada




Que Deus nos abençoe.



Leonardo Cesar Harger
Contato Nacional

Site oficial:
www.tlig.org/pg.html
Site AVVD Brasil:
www.avvdbrasil.org.br

­